Geraldo Barreto

Biografia

Geraldo Maciel de Araújo (Geraldo Barreto), nasceu na cidade de Nova Palmeira, interior do Seridó Oriental paraibano em 02 de abril de 1950. Filho de Raimundo Araújo Barreto e Olívia Maciel de Araújo.

Geraldo aos 9 anos de idade foi morar com parentes na cidade de Catolé do Rocha, Sertão paraibano, para prosseguir com seus estudos. Em seguida Barreto se mudaria para a capital paraibana.

O Engenheiro

Geraldo formou-se no curso de Engenharia Civil e em seguida tornou-se professor da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) do Centro de Produção – Centro de Tecnologia da UFPB – Campus I.

O Autor

Barreto como é mais conhecido pelos íntimos amigos e também no mundo acadêmico, tem no mundo ficcional dos contos sua inspiração para o exercício de escrever descoberto já na fase madura, após longa caminhada pelos canteiros de obras na busca da medida exata das dimensões. Quis o destino que suas palavras tivessem as medidas dos olhos do mundo e que com elas fossem construídas obras. Engenharia das letras.

Engenheiro de formação. Escritor de paixão. Assim pode ser definido, em poucas palavras o autor de “Concertista e Concertina” (Editora Manufatura). Barreto, contista, membro do Clube do Conto da Paraíba observador do cotidiano, engenheiro das histórias de um mesmo cotidiano.

Geraldo escreveu obras como “O Inventário de Pequenas Paixões”, “Aquelas Criaturas tão Estranhas”, “Os Colecionados”.

Em 2008 recebeu o prêmio Cidade do Recife, com o romance “Pecatta Mundi”.

O adeus

O mastro da grande nau literária paraibana exibe novamente bandeira negra a meio pau, pela morte, na manhã do último domingo, em João Pessoa, aos 59 anos, do escritor e proprietário da editora Manufatura, Geraldo Maciel, a quem carinhosamente chamavam de "Barreto". Seu corpo foi sepultado ainda no domingo, às 17h30, no Cemitério Senhor da Boa Sentença, na capital paraibana.

Natural de Nova Palmeira (PB), Geraldo Maciel era um dos mais importantes escritores de sua geração, e somente as idiossincrasias do mercado editorial explicam seu relativo ostracismo no cenário da literatura brasileira. Dividia seu tempo escrevendo, editando, ensinando e discutindo literatura, esta última atividade, no Clube do Conto da Paraíba. Deixou, além de obras inéditas, os livros de contos Aquelas criaturas tão estranhas e Inventário de pequenas paixões.

Geraldo Maciel integrou as coletâneas Contos cruéis e Quartas histórias. Engenheiro civil, doutorou-se em Engenharia de Produção pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. Era professor do Departamento de Engenharia de Produção da UFPB. Em 2008 obteve o Prêmio Cidade do Recife, com o romance Peccata Mundi. A morte o alcançou quando negociava com uma grande editora a publicação de seu próximo romance.

O Norte on line 25 / 05 /2009

Correio das Artes
O Norte On Line

0 comentários: