quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Repasse de 14% para previdência gera polêmica em Nova Palmeira, na PB

Imagem ilustrativa - Reprodução/WEB
Na tarde desta terça-feira (21/11), aconteceu uma Audiência Pública para tratar da situação do Instituto de Previdência de Nova Palmeira – IPSENP, através da autarquia IVA FAGU.


Diante de ofício circular, todos os servidores públicos municipais de Nova Palmeira-PB foram convocados para se fazer presente na referida audiência. Segundo Marizaldo Dantas Júnior, presidente do IPSENP, o instituto encontra-se sem condições financeiras para continuar com suas atribuições, alegando que o problema foi acumulado desde sua criação e que, segundo informações explanadas no evento, os repasses não teriam sidos transferidos como manda a lei e a “bomba estourou”.

Com isso, a Prefeitura Municipal de Nova Palmeira ficaria inviabilizada de cumprir com a folha de pagamento dos inativos e pensionistas desse município, segundo representantes do Poder Executivo local.

Se apegando na reforma previdenciária que está em tramitação no país, a atual gestão tomou como uma das soluções o aumento da contribuição dos servidores ativos ao instituto que é atualmente de 11% para 14% ao mês.

A proposta a ser discutida com os servidores que são representados pelo Sindicato dos Servidores Públicos doSeridó e Curimataú da Paraíba – Sinpuc, gerou insatisfação por grande parte dos servidores presente. Muitos alegam que são assalariados e que o desconto comprometerá seus supostos compromissos financeiro.

Foi levantado também por alguns servidores presentes que a prefeitura continua “inchando” a folha com contratados, ora esses, não contribuem com o IPSENP e sim com o INSS.

Professores também questionaram, pois, além de não terem o reajuste do piso nacional que é superior a 7%, terão ainda déficit de mais 3% nos seus salários com a suposta mudança.

O evento contou com a presença de representantes do Poder Executivo, vereadores, IPSENP, sindicato e servidores.

Nova Palmeira Notícia 








0 comentários: