terça-feira, 10 de maio de 2016

Diante crescimento de repasse do dia 10, o município de Nova Palmeira, na PB, recebe mais de 600 mil


Os municípios paraibanos recebem, nesta terça-feira, R$ 181.354.701,17 referentes ao primeiro decêndio do mês de maio do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Em todo o país, o valor será de R$ 4.490.784.362,62, o que representará um crescimento de R$ 11,93 em relação ao mesmo repasse do ano passado. No entanto, o montante destinado à Paraíba representa um crescimento de apenas 3,7%, se comparado ao 1º decêndio de maio do ano passado.


O município de Nova Palmeira, no Seridó paraibano, segundo informações do portal do Banco do Brasil, subtraindo débito benefício de R$ 205.294,97, está creditado o valor de R$ 638.061,26 nas respectivas contas da Prefeitura Municipal.

Clique aqui e consulte o demonstrativo do Banco do Brasil.

De acordo com a Confederação Nacional dos Municípios (CNM), o valor total sem os descontos do Fundo nacional de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), é de R$ 5.613.480.453,28. A área de estudos técnicos do CNM diz que o crescimento de 11,93% ocorre sem considerar os efeitos da inflação. Quando se considera o valor real dos repasses e consideram-se as consequências da inflação, o crescimento chega a apenas 3,81%.

No acumulado de 2016, os repasses de 2016 são 1,79% menos do que os dos mesmos meses de 2015. E pior, se fossem considerados os efeitos da inflação, o FPM acumulado em 2016 tem queda bem mais expressiva, de 10,39%. A situação é preocupante pois esta queda nos repasses prejudica ainda mais as finanças municipais, deixando os gestores em uma difícil situação: menos recurso para custear o aumento das obrigações a eles impostas e o aumento de preços consequente da alta inflação.

Para o mês de maio, a expectativa da Secretaria do Tesouro (STN) é de crescimento nominal de 4,6% para o mês de maio frente ao mês período de 2015. Portanto, a CNM alerta novamente aos gestores municipais que refaçam seus planejamentos financeiros, a fim de conseguir amenizar os efeitos oriundos da crise em que o país está imerso.

Imagem ilustrativa 
Com informações do Blog do Gordinho


0 comentários: