terça-feira, 12 de abril de 2016

Diretor que fez presos trabalharem é demitido

Rondinelle
Foi demitido da função de agente penitenciário - de acordo com determinação publicada nesta terça-feira (12) no Diário Oficial do Estado - o então servidor público estadual Rondinelle Victor dos Santos. Em abril de 2014, ele passou mais de 24 horas preso após ter levado três detentos para trabalharem na reforma da casa dele, que fica em Parnamirim, cidade da região Metropolitana de Natal.

Leia mais no Nova Palmeira Notícia

Na época, Rondinelle era diretor do Complexo Penal Dr. João Chaves, na Zona Norte da capital. O caso ganhou repercussão nacional e o vídeo que mostra os presos trabalhando foi exibido pelo Fantástico e pelo Bom Dia Brasil, programas da Rede Globo.

A demissão de Rondinelle foi assinada pelo governador Robinson Faria, pelo secretário de Justiça e Cidadania (Sejuc) Cristiano Feitosa Mendes e pelo secretário de Administração e Recursos Humanos Marcelo Marcony Leal de Lima.

De acordo com a publicação, o Estado considera que o servidor foi submetido a regular processo administrativo, com observância dos princípios constitucionais, especialmente o da ampla defesa, do contraditório e do devido processo legal. Assim, resolve aplicar a pena de demissão ao servidor.

Ainda na época do ocorrido, os advogados de Rondinelle negaram a versão apresentada pela polícia. Paulo César Costa e Allan Almeida alegaram que o então diretor teria ido em casa apenas para visitar a mulher, que estava recém-operada.

"De maneira alguma isso que a polícia relatou ocorreu. O Rondinelle protocolou na João Chaves que iria levar os três presos para o Centro de Detenção Provisória de Pirangi para fazer uma obra na unidade. De lá, ele passou em casa para ver a mulher, que foi operada há 10 dias. O Rondinelle não cometeu delito algum", disse ao G1 o advogado Paulo César Costa.

A defesa do diretor entrou com um pedido de anulação de flagrante e outro de liberdade provisória. A Justiça acatou o segundo pedido e Rondinelle foi liberado. Segundo a Polícia Militar, para transportar os presos, o diretor teria usado o carro oficial do presídio e o veículo foi apreendido.


Imagem: Reprodução/Inter TV Cabugi 
Anderson Barbosa/G1

0 comentários: