quarta-feira, 16 de março de 2016

Senadora Fátima Bezerra fala sobre nomeação do ex-presidente Lula em assumir ministério

Senadora Fátima Bezerra
A presidenta Dilma Rousseff teve um gesto de grandeza ao trazer para o ministério seu antecessor, o ex-presidente Lula, que, com sua grande popularidade e capital político, tem uma grande contribuição a dar à reaglutinação da base política do governo. “É um gesto de grandeza, neste momento difícil pelo qual passa o País. Tanto da presidenta, que fez o convite, quanto de Lula, que aceitou”, afirmou a senadora Fátima Bezerra (PT-RN), em pronunciamento ao plenário nesta quarta-feira (16).


A senadora ressaltou mais essa prova do “esforço feito por Dilma para colocar o País de volta no caminho do desenvolvimento econômico”, buscando o diálogo político. “E é provavelmente por isso que a oposição está com os nervos à flor da pele, temendo que Lula no governo ajude a retomar o desenvolvimento, a aumentar a aprovação popular e as chances de ele voltar a subir a rampa, em 2018”.

A senadora foi enfática em rechaçar uma das principais críticas da oposição à nomeação, de que a presidenta Dilma pudesse estar abdicando da titularidade do cargo que conquistou com 54 milhões de votos. “Duvido que alguém dissesse isso se fosse um homem na presidência da República”, ressalta Fátima, para quem essa análise é, também, fruto do machismo dominante.

Fátima manifestou confiança e esperança na chegada de Lula ao ministério, como chefe da Casa Civil. “Temos certeza de que não haveria pessoa melhor, neste momento, para ajudar o Brasil a sair da crise política e econômica em que o País se encontra. O currículo do Presidente Lula, a sua história de vida, a sua trajetória política falam por si sós. Ninguém pode negar que Lula é, sim, um dos maiores estadistas que este País já teve”.

A condição de militante político, aliada à experiência muito bem-sucedida como gestor público — reconhecido em todas as pesquisas como o melhor presidente que o Brasil já teve—são elementos inestimáveis que Lula traz para a articulação política, o diálogo e a busca de um consenso para a superação da crise, acredita Fátima.

Ela lembrou ainda, que a prerrogativa de escolher ministros é exclusiva dos presidentes da República. “É bom que a oposição lembre-se disso. Há uma presidenta no cargo, que se chama Dilma Rousseff, com essa prerrogativa constitucional”.


Imagem: Reprodução 
PT no Senado

0 comentários: