terça-feira, 22 de março de 2016

PB tem queda de 1,3% na taxa de homicídios; Com 360%, RN tem maior aumento em 10 anos


Paraíba

A Paraíba apresentou uma redução de 1,3% na taxa de homicídios do ano de 2013 para 2014. Porém, no acumulado de 10 anos, a taxa mais que dobrou. O aumento foi de 114,4%. Os dados são do Atlas da Violência 2016, divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) em parceria com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) nesta terça-feira (22).


A taxa de homicídios por 100 mil habitantes foi de 39,1 em 2014, a 9ª maior do país e a 5ª entre os estados do Nordeste, e de 18,2 em 2004. Em 2013, o indicador ficou em 39,6. A maior taxa dos últimos 10 anos foi registrada em 2011, de 42 a cada 100 mil habitantes, quando foram contabilizados 1.619 homicídios. Se comparando a evolução de 2010 para 2014, o aumento foi de 2,5%.

Em relação ao número absoluto de homicídios, que foi de 1.542 em 2014, a queda registrada em relação ao ano anterior foi de 0,5%. Levando em consideração o acumulado de 10 anos, foi observado um aumento de 134%.

A microrregião de João Pessoa, composta por Bayeux, Santa Rita, Cabedelo, Conde, Lucena e própria capital paraibana, foi elencada como a 15ª mais violenta do país, levando em consideração a taxa de homicídios por 100 mil habitantes. A taxa registrada foi de 64,1.

Outro destaque negativo foi a microrregião de Cajazeiras, no Sertão paraibano, que tem uma população de 174.671 habitantes e teve o 4º maior aumento na taxa de homicídio entre 2004 e 2014 do país, de 771,23%.

Jovens

O estudo ainda divulgou o número de homicídios de jovens com idades entre 15 e 29 anos. Foram 864 em 2014, uma queda de 3,1% em relação ao ano anterior. Porém se comparado a 2004, houve um aumento de 152,6%. A taxa foi de 85,5 nesse quesito, porém ainda maior se considerado apenas os homens jovens dessa faixa etária: 161,2.

Negros

Em relação aos homicídios de negros, a taxa não apresentou nenhuma redução na Paraíba. A variação foi de 3,6% se comparando 2014 a 2013 e de 124,8% no acumulado dos 10 anos. A maior taxa entre 2004 e 2014 foi registrada em 2010, com 60,5 mortes de negros a cada 100 mil habitantes. Essa taxa caiu até 2012, quando foram 51,4, mas voltou a subir em 2013, com 52,1. O ano de 2014 fechou com uma taxa de 54 homicídios.

A taxa de homicídios de não negros foi muito menor, de 5,4 mortos a cada 100 mil habitantes. A queda foi de 15,7% comparada a 2013, ano que teve a maior taxa entre 2004 e 2014, de 6,4. No entanto, 2014 teve um aumento no acumulado dos 10 anos, de 79,7%.

Mulheres

O homicídio de mulheres teve uma diminuição entre 2013 e 2014. A variação da taxa por 100 mil habitantes foi de -8,7%. O acumulado dos 10 anos, no entanto, teve um crescimento de 76,2%. Ao todo, foram 116 mortes de mulheres em 2014.

Rio Grande do Norte

O Rio Grande do Norte é o estado brasileiro que registrou o maior crescimento na taxa de homicídios e também o que contabilizou o maior crescimento em números absolutos de assassinatos do país entre os anos de 2004 e 2014, segundo mostra o Atlas da Violência – estudo  divulgado nesta terça-feira (22) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

Neste período, de acordo com o Ipea, a variação da taxa de homicídio por 100 mil habitantes foi de mais 308,1% no Rio Grande do Norte. Já o aumento no número de assassinatos, foi de 360,8%. Em 2004, o estudo revela que 342 foram assassinadas no RN. Já em 2014, foram 1.576 vítimas.

O estudo também traz um ranking que lista as 20 cidades mais violentas do país. E três delas são potiguares: Macaíba, Natal e Mossoró. Em Macaíba, a 5ª no ranking, a taxa foi de 72,4 homicídios para cada grupo de 100 mil habitantes. Mossoró é a nona, com taxa de 71,5. Natal é a 16ª, com taxa de 62,1.

Ainda levando em consideração os dados de 2014, o estado aparece como o quarto mais violento. Com uma taxa de 46,2 mortos para cada grupo de 100 mil habitantes, o Rio Grande do Norte fica atrás apenas de Alagoas (taxa 63), Ceará (52,2) e Sergipe (49,4).

Atlas da Violência 

O Nordeste é a região do Brasil que registrou o maior crescimento de homicídios em uma década, ainda segundo o Atlas da Violência 2016. Apenas em 2014, 59.627 pessoas foram vítimas de homicídio no Brasil. Com uma taxa de homicídios de 29,1 por 100 mil habitantes, o país já é responsável por mais de 10% dos números registrados no mundo. O país está entre as 12 maiores taxas de homicídios por 10 mil habitantes, em comparação com uma lista de 154 países.

Imagem: Matheus Magalhães
Com G1


0 comentários: