terça-feira, 13 de outubro de 2015

Aulas na UFCG após greve retornam próxima semana, afirma pró-reitoria; confira

UFCG
As aulas na Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) retornam normalmente a partir da segunda-feira (19), segundo a Pró-Reitoria de Ensino informou nesta terça-feira (13). A partir da segunda-feira, os professores já podem registrar aula e frequência. Essa decisão vale para os campi de Campina Grande, Cuité, Sumé, Pombal e Cajazeiras, onde os professores encerraram a greve na quinta-feira (8). No campus de Patos, a greve continua.


Ainda de acordo com Pró-Reitoria Ensino, já foi enviado proposta de calendário às direções de Centro para os períodos 2015.1, 2015.2, 2016.1 e 2016.2. Essa proposta respeita a prescrição de 100 dias letivos por período e 45 dias de férias anuais para os docentes, informou a PRE.

O diretor da Associação dos Docentes da UFCG (Adufcg), Luciano Mendonça, confirmou que na quinta-feira (15) os professores realizam uma nova assembleia para avaliar a greve e fazer algumas sugestões à Reitoria. "Tem que ser respeitado o início de deflagração da greve e levar em conta cada peculiaridade de cada campus, como o de Cajazeiras que começou a greve antes dos campi de Campina Grande, Cuité e Sumé", disse.

A estudante de Comunicação Social, Thamirys Késsia, diz que ela e os colegas estão apavorados com o retorno das aulas na universidade. "Nós estamos pensando como será essa volta. A gente acredita que os professores vão tentar recuperar todo o tempo perdido e vão derramar conteúdo", prevê.

Thamirys Késsia conta que está preocupada com o rejuste do calendário. Desde da última greve dos professores da UFCG, que aconteceu em 2013, o calendário acadêmico estava desajustado, fazendo com que colações de graus fossem adiadas.

Luciano Mendonça afirmou que a partir de segunda-feira as aulas retornam normalmente, mas será sugerido que na primeira semana hja apenas revisão de conteúdo, em realização de atividades avaliativas para que os alunos não sejam prejudicados.

Imagem: Divulgação

G1

0 comentários: